Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias avulso

Presságio

Setembro 04, 2018

A luz e a cor eram aquelas descritas em tantas escritas, cor de presságio, tons de aviso. Fala-se no sexto sentido, talvez seja isso: acordar de manhã e saber exatamente pela cor pintado o mundo que algo se avizinha.

presságio é agoiro escrito nas nuvens do céu

Olha-o dormindo na cama, avalia-lhe o respirar, a vida que lhe corre fervendo nas veias. Ali está erguido um grande amor, velejado toda uma vida sem a pressa de um motor ou dor de um remo. Velas de borboleta, fortes e inteiras levando-os em brisas e vendavais do ontem para o hoje, do hoje para o amanhã. E a história que se escreve, escrita e por escrever, bonita, cantada, sonhada, chorada.

e presságio é canto de anjo maldito

Levanta-se e estica o corpo até sentir todo e cada músculo de si em tensão. Inspira bem fundo. Fecha os olhos e chora por dentro um oceano inteiro de angústia.

E presságio é cor de dor antiga

_ Bom dia meu amor,

Volta-se e olha-o sorrindo para si. Sorri-lhe de volta. Volta a ocupar o seu lugar na cama e embrulha-se no seu abraço. Fecha os olhos. Inspira novamente todo o ar do mundo e chora por dentro de novo, escondida por de trás de um enorme sorriso.

E então sente valente aquele amor gigante, invadindo-lhe em onda todos os poros e receios, apagando os tons de presságio pincelados no céu. Amor que se sente no conforto de casa. O amor que é ele mesmo os tijolos das paredes que fazem de uma casa um lar.

_ Obrigada.

Ele abraça-a com força, ainda mole do sono da noite e ela, engolida naquele abraço milenar, enxota para longe os presságios e agoiros, lágrimas de ar e receios, enxota tudo para bem longe de si. Entrega-se somente ao momento que é aquele: acordar nos braços de quem se ama.

E é assim que agradece muito além das letras que fazem a palavra, agradece com a boca selada às palavras faladas, agradece com os olhos vendados ao que é visível, agradece com a alma a transbordar de invisível.

E então chora por fora, sorrindo inteira por dentro, e vê lá fora o sol engolir faminto as cores com que os seus medos pintaram o mundo de presságio.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D