Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias avulso

Abril 24, 2019

De noite, naqueles segundos que antecedem o mergulho inteiro no sono, vagueio de forma aleatória numa sopa de memórias reais e sonhadas. É nesse momento que O sinto mais presente, precisamente quando não existem mordaças à mente, e sinto-O, por isso, de uma forma mais irónica do que quando estou conciente da minha existência no mundo. Sinto-O vagueando dentro de mim, procurando recantos esquecidos ou perdidos, penetrando sem permissão nas minhas vontades e angústias. Vagueio, eu e Ele lado a lado, num estado de embriaguez, sem me permitir definir se sonho acordada ou se durmo sonhando. Passo de pensamento em pensamento, sentimento em sentimento sem qualquer tipo de lógica ou fluidez. É um estado quase puro de existência em que me sinto e pressisto. Resiste, Insiste, Desiste, recomeça, por fim. Talvez seja Deus, talvez seja apenas eu mesma vestida de todas as eus que moram em mim. Resiste apenas uma certeza, esta bem lúcida e vincada.

Vale a pena acordar, mesmo que não tenha chegado a adormecer.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D